Havana

Da Conquista do Paraíso à Revolução

Atravessamos o Oceano Atlântico até à deslumbrante ilha de Cuba, nomeadamente até à sua capital, a cidade de Havana.  A república de Cuba caracteriza-se como uma nação insular, localizada em pleno mar das Caraíbas, e que compreende a ilha de cuba e arquipélagos de menores dimensões. A história de Cuba assentou sempre na privilegiada posição geográfica que esta ocupa, mais concretamente a proximidade do Mar das Caraíbas com Golfo do México e Oceano Atlântico- De acordo com registos históricos, a ilha Cuba terá sido descoberta por Cristóvão Colombo ao serviço dos reis de Espanha no ano de 1492. A ilha terá sido inicialmente batizada como “Juana”, numa tentativa clara de homenagem do navegador à filha dos atuais reis católicos, todavia este nome depressa terá sido revertido devido à fraca aceitação pelos povos Ameríndios que habitavam a região pré-colonização. Na origem da palavra Cuba, as opiniões dividem-se entre historiadores que acreditam que na língua nativa significaria planície ampla, ou ainda a teoria que terá sido na vila alentejana de Cuba em Portugal que terá nascido Cristóvão de Colombo.

Nos anos subsequentes à descoberta e sucessiva colonização espanhola, o povo nativo Ameríndio terá sido dizimado em função de guerras, trabalho forçado, mas principalmente devido a doenças comuns europeias, para as quais não tinham imunidade. A história de Cuba fica associada ao interesse da coroa Espanhola e Britânica pelo controlo do ouro, proveniente da região, e a cidade de Havana serviria então como primeiro porto de embarque entre América Central e o continente Europeu. As condições difíceis de navegabilidade resultaram em diversos naufrágios em pleno mar das Caraíbas, situação que ainda nos dias de hoje entusiasma a indústria da caça a tesouros.


O decurso do Séc. XIX fica ligado ao fim do domínio espanhol, desta forma sucessivas rebeliões e a tensão crescente com a potência emergente dos Estados Unidos da América, viria a mergulhar a região. A guerra hispânico-americana viria a terminar em 1898, através do tratado de Paris, que viria a conceder entre outras nações, o controle de Cuba aos Estados Unidos. Digamos que o intento americano nunca foi ocupar a região, mas sim manter uma espécie de controlo militar. Estávamos numa época de pirataria e o controlo do mar das caraíbas era essencial para as exportações. Em 20 de maio de 1902, cessa o controlo americano, passando a existir a recém-formada república Cuba, desta forma a ilha conquista finalmente a sua independência.

A chegada a Havana, é efetuada através do aeroporto internacional José Martí que dista a uns meros 15km do centro da cidade. A maior parte da ilha encontra-se a norte do equador, beneficiando de ventos quentes que promovem a denominada corrente de caribe. O melhor período para visitar a ilha encontra-se compreendido entre os meses de outubro a abril, recordo que estamos numa região conturbada e sujeita a fenómenos atmosféricos como furacões. A moeda usada em cuba pelos cubanos é o Peso Cubano, todavia é normal em todo lado seja aceite o dólar/euro, aliás esta é a grande forma de financiamento da economia local, desta forma é natural que efetue pagamentos em dólares, e que lhe seja devolvido o troco em pesos cubanos. O povo cubano é naturalmente simpático e muito correto com o turista, sendo natural abordagem na rua para uma simples conversa. 

Os primeiros aparência da cidade é assustadora, parece que entramos num filme do regresso ao passado, numa versão americana de uma cidade arrasada pela guerra. Sucessivos embargos americanos condenaram a cidade construtivamente, ou seja, os traços arquitetónicos americanos dos anos 50 perduram, todavia descuidados e com vestígios das diversas revoluções.

Havana Velha – Habana Vieja

Havana Velha caracteriza-se como o centro histórico da capital cubana, sendo sem sombra de dúvida um dos locais mais interessantes da cidade. Vagueie pelas ruas ao fim do dia e contemple os bairros, repletos de crianças a brincar, bares e restaurantes cheios, e a cada esquina músicos de rua ao ritmo da contagiante música cubana.

Em Havana Velha, visite a praça da catedral: estamos perante o maior ex-libris do estilo Barroco. A praça construída sobre um antigo pântano evidencia um empedrado característico, assim como os monumentos mais importantes da cidade. Nesta praça, é possível visitar a Catedral de San Cristóbal, Palácio do Conde Lombillo  e o Museu de Arte Colonial.

Explore os recantos de Havana vellha e termine o dia na famosa La Bodeguita del Medio, famoso bar conhecido como o local onde o escritor Ernest Hemingway saboreava os famosos cocktails. Aliás de acordo a própria gerência do bar, terá sido aqui que nasceu o famigerado Mojito.


Capitólo – El Capitolio

Construído em 1929, e de execução semelhante ao edifício do capitólio dos EUA em Washington, terá albergado os sucessivos governos de Cuba até à revolução em 1959. Sendo um local aprazível, permite ao visitante imaginar o que seria cuba nos anos pré-revolução e a influência americana.

Castelo do Morro – Castillo de los Tres Santos Reyes del Morro 

O Castelo conhecido como Castelo dos Três Reis Santos do Morro, terá sido construído entre 1589 e 1630, com o principal propósito de defender Havana da pirataria. Terá sido construído pela coroa espanhola, sendo possível ainda observar as características arquitetónicas renascentistas, e que de forma homogénea se disfarçam com terro rochoso circundante.

As histórias deste forte são inúmeras, e terá sido palco de diversas batalhas, sendo que apenas em 1762 terá sido invadido no seguimento de um cerco de 44 dias efetuado pelas tropas da coroa britânica.

Praça da Revolução – Plaza De La Revolucion – Havana

A praça mais conhecida de cuba é um dos cartões-postais mais famosos da cidade. A popularidade da praça representa para o turista mais distraído apenas um local amplo, onde figura a mítica escultura metálica de um dos heróis da revolução cubana, Che Guevara. Estamos perante a maior praça da cidade construída pela ex-ditador Fulgêncio Batista, e palco dos mais emblemáticos discursos de Pró-Comunista de Fidel Castro. Recomendo que leve protecção para o sol tórrido visto que a praça é parca em sombras.

No centro da Praça da Revolução, é possível ainda observar o memorial de José Marti, o grandioso pensador cubano, responsável pelos ideais sobre o qual assenta a atual governação do povo cubano.

Universidade de Havana

Nas imediações do bairro do Vedado, é possível visitar uma das universidades mais antigas da América, nomeadamente a Universidade de Havana. A escadaria é impressionante, actualmente conta com 60 mil alunos, e alberga uma das maiores livrarias. Na proximidade da escadaria da Universidade, encontra-se o monumento a Julio Antonio Mella, dedicado ao líder estudantil responsável pela fundação do Partido Comunista Cubano.  

Certamente que neste local será abordado por estudantes que possivelmente tentarão estabelecer conversa com os turistas na perspetiva de enriquecimento pessoal, não entre em pânico o povo cubano é hospitaleiro e curioso sobre a sua proveniência e vivências fora da ilha.

Praias – Varadero e Cayos

Quem procura visitar cuba espera uma mescla de visita por uma cidade retro e as famosas praias de areais brancas. A cidade de Havana apesar de à beira-mar plantada, não tem praias de areia, apenas alguns pontões em pedra na qual os turistas podem observar pequenos tubarões que se aproximam da terra.

A busca de praias de água cristalina conduz os turistas a praias como Varadero ou Cayos (ilhas cujo acesso só é possível de barco). Esta praia consiste numa língua de areia repleta de hotéis para todos os gostos. Neste local, o turista pode esperar dias de descanso repletos de mojitos. As unidades hoteleiras adaptaram-se às necessidades turísticas: os turistas poderão realizar passeios Moto 4, passeios a cavalo, vela, pesca submarina, mergulho, entre outras atividades.

Vida Noturna – La Movida Cubana

Havana tem a particularidade de se transformar, a vida noturna é única, comece por um jantar acompanhado de música cubana. Dirija-se para Havana Velha, procure um clube local típico, delicie-se com rum e um belo charuto cubano. Um dos melhores produtos de cuba é sem dúvida os charutos, existindo diversas marcas e com preços muito em conta comparativamente aos praticados na Europa.

Acabe a noite num belo carro descapotável, assista ao nascer no sol na marginal de Havana. É sem dúvida um momento épico ao melhor estilo dos filmes norte americanos.

Cuba é um paraíso de vivências. Existe música um pouco por todo o lado, as cidades são antigas, mas belas, os cubanos são afáveis e comunicativos, as praias de areia branca e água cristalina, e a cidade apresenta um aroma a café, a rum e a tabaco. De Havana a Viñales, de Trinidad a Remédios, passando pelos cayos, Cuba é um destino de viagem inesquecível.

1 Comentário

  • Justino Renée Morales
    3 meses ago Publicar uma Resposta

    It is very very sad this article shows the planed like theater tourist sides while at this moment the Cuban people are under represion, hunger, around 55 pacific minors incarcerated with convictions in between 8 and 24 years, just for exercise the right of expression by going out to the street to demand freedom and food, all those kids are part of more than 800 people incarcerated 5he last July 11th when thousands and thousands of Cubans around the island took to the streets to demand freedom and rights.
    Shame on you! Tourism won’t help Cubans, all that money is as always going to the Partido Comunista members accounts in Panama and any other capitalis countries.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published.

Start typing and press Enter to search