Blockchain

Muitos países procuram atrair grandes projetos de investimento, oferecendo uma série de vantagens e incentivos aos investidores, sendo que os mais comuns acabam por ser os fiscais.
Os países tomam estas medidas por reconhecerem que esses projetos podem dar um contributo valioso para a economia nacional, pelo alto valor acrescentado dos mesmos ou porque atraem novos conhecimentos, tecnologias ou novos clusters económicos.
Ora, um grande projeto também pode surgir do contributo de muitos pequenos investidores, e por isso também estes devem merecer o mesmo tipo de atenção por parte dos países.
A tecnologia Blockchain é sem dúvida uma tecnologia que vai revolucionar a vida de uma maneira tal que muitos nem sonham.
Para os contabilistas é o graal da contabilidade, é um livro-razão compartilhado e imutável usado para registrar transações, rastrear ativos e aumentar a confiança. Permite registar informação organizada de forma sequencial atribuindo aos registos uma data o que torna praticamente impossível alterá-los devido ao seu protocolo de segurança.
Muitos reduzem a tecnologia blockchain às criptomoedas, porem os campos de aplicação são muito mais vastos.
É uma tecnologia que está ao serviço da democracia e da liberdade, imaginem a história de um país escrito nesta tecnologia que tornaria impossível rescrevê-la por uma ditadura qualquer…
Esta tecnologia tem aplicação a grande parte da vida em sociedade de uma comunidade.

Portugal tem todo o interesse em se tornar num centro mundial de desenvolvimento desta tecnologia, atraindo pessoas de todo mundo, altamente qualificadas, para cá desenvolverem este novo motor económico que permitirá que a nossa economia dar um salto brutal.
Estou em crer que esta nova indústria é bem maior que alguns dos grandes projetos que receberam grandes ajudas do estado. Porque não alargar a atribuição de fortes incentivos a quem permite desenvolver esta tecnologia?
No entanto, alguns reconhecem que se trata de uma nova galinha dos ovos de ouro que ainda mal começou a dar ovos e já querem esventrar, querendo taxar de qualquer maneira esta industria e esquecendo que basta a galinha voar para outro país para que seja impossível taxar. Esta nossa tendência de em vez de atrair mais galinhas dos ovos de ouro, preferir esventrar logo o mal só nos prejudica… relembremos o que aconteceu a Portugal quando expulsou os Judeus, foquem somente a vossa atenção no efeito desta expulsão no desenvolvimento do porto de Amesterdão, Londres e Manhattan.
A atitude tem que ser a oposta, devemos mostrar aos outros nómadas digitais que Portugal é o paraíso que buscam há muito tempo, e que tudo estamos a fazer para melhorar este paraíso, como por exemplo ligar Portugal ao extremo de África e às Américas, graças a um cabo submarino de dados, tornando Portugal num conector centralizador privilegiado de dados.
O digital é o novo petróleo do futuro.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published.

Start typing and press Enter to search